terça-feira, 6 de novembro de 2012

Cada um por si

Sorrisos, todos precisamos! Mas, às vezes, o semblante que nos acaricia a alma é justamente o de um desconhecido sem peso em nosso passado. Porque nossos amigos, aqueles que já choraram e sorriram com a gente, aqueles que já beijamos e abraçamos como irmãos, fugiram das nossas vistas.

Tudo bem, não temos mais dezesseis, nossa turma não é mais nossa família, e me parece mais fácil conquistar uma aldeia distante, sendo um forasteiro, do que a nossa própria aldeia, sendo um filho da terra.

No fundo, no fundo, ninguém realmente se importa com nossas batalhas diárias, nossas pequenas conquistas, nossos tropeços, nosso brilho breve de vaga-lume. É, nós crescemos, somos adultos, e aquele velho ideário mosqueteiro de um por todos e todos por um morreu. É cada um por si, infelizmente!

Um comentário:

eliane luz disse...

A verdadeira amizade... poucos realmente conhecem o significado nos dias atuais.
Eliane Luz